Karê – Os caçadores encantados

kare.jpg

O nascimento de Karê vem depois da existência de Logun Edé, conta à lenda que Yemanjá admirava muito o neto pelo brilho que ele possuía Logun sempre teve uma presença muito forte e chamava atenção de todos, ao consultar Orunmilá sobre ter um filho que chamasse tanta atenção e tivesse o mesmo encanto de Logun Edé, o jogo determinou que Yemanjá devesse passar um obi na barriga e jogar no rio. Sendo assim, Yemanjá passa o obi e joga na água, mas ao jogar o obi bate em uma pedra e se divide, a parte feminina do obi cai na água e a parte masculina do obi cai sobre a terra gerando um casal de gêmeos a Yemanjá. A menina por ter vindo do Nibú Odó – Fundo do Rio, foi associada à filha que Yemanjá já tinha (Osun foi à primeira filha mulher de Yemanjá), e o menino foi associado à Oxossí devido ser um caçador. Continuar lendo

Anúncios

Airá um Orixá único.

airafinal

Airá é um Orixá da família do raio, mas pode também ser relacionado ao vento, seu nome pode ser traduzido como redemoinho, sendo o fenômeno que mais se assemelha a um furacão em território Nigeriano. Seu templo fica em Savé uma cidade no Benim que é conhecida por ser local de muitas rochas.  O surgimento do culto a Airá antecede ao de Xangô, seu culto migrou de Savé para Oyó e de Oyó para Ketu.  Airá foi incorporado a família de Xangô, é tido como Orixá velho, veste-se de branco, usa contas brancas rajadas de marrom intercaladas com seguí e acompanha Oxolufon, Airá não usa coroa, mas um eketé branco. Suas comidas votivas não são temperadas com dendê, nem com sal e sim com banha de ori africana. Comeria quiabos, assim como Xangô. Conhecido no Brasil como uma qualidade de Xangô, porém, na verdade foi incorporado ao panteão do fogo, mas seu verdadeiro culto é independente, Airá é um Orixá único,  ele não usa coroa e sim um capacete e seu simbolo é uma chave, usa uma lança como simbolo de respeito,impondo-se mesmo depois da chegada de Xangô.

Airá é tido como Ebora, ou seja, Orixá que povoou a terra logo após a sua criação, para alguns historiadores, seria Xangô ancestral, daí sua grande ligação com Oxalá. Airá está intimamente ligado às cantigas da roda de Xangô, assim, se junta à família e formam os 12 Xangôs cultuados e reverenciados. Continuar lendo